Hérnia de disco e as principais causas de dor lombar

Hérnia de disco Clínica Livon

Para muitas pessoas, receber o diagnóstico de hérnia de disco soa como uma sentença e, com isso, progressivamente param de praticar esportes e diminuem as atividades da vida diária, por acreditarem que o repouso e a inatividade são os melhores tratamentos.

Apenas 1% das disfunções de dor lombar apresenta algum problema mais sério como malignidade, fratura ou uma disfunção inflamatória. Enquanto apenas cerca de 5% de dor lombar está relacionada a um prolapso discal ou alguma forma de compressão nervosa.

Se fossem feitos exames radiológicos em toda a população, constataríamos que:

  • 90% dos indivíduos possuem degeneração discal;
  • Cerca de 45% possui hérnia de disco ou protusões discais; e
  • 20% a 30% possui protusão ou fissuras de anel fibroso e artrose das facetas articulares.

O receio de receber diagnóstico de hérnia de disco

Na tentativa de diagnosticar os 5%, criou-se uma crença de que na maioria dos indivíduos com dor lombar, a causa seja algum desses “achados” radiológicos, os quais na realidade são achados normais e que não são indicadores de futura dor lombar.

Então, com esses diagnósticos em mão, muitos começam a lidar com a coluna como se ela estivesse danificada e necessitasse ser protegida. Seguindo essa lógica, se vai em busca de tratamento medicamentoso através de diferentes tipos de abordagem farmacológicas, ou até mesmo uma cirurgia de fusão da coluna em uma tentativa de tratá-la.

Apesar dessa crença de que os sintomas de dor lombar/lombalgia/dor nas costas estão relacionados à estrutura, o tratamento continua direcionado apenas para os sintomas, o que não gera resultado.

Principais causas para dor lombar

Quando se trata de dor nas costas, a causa do problema é muito mais complexa. Dor lombar pode ser causada por inúmeros fatores, como os contribuidores periféricos:

  • Tensão muscular ou proteção muscular anormal; e
  • Adoção de posturas ou padrões de movimento que são rígidos e de proteção (que podem causar estresse em estruturas sensíveis a dor e que se relaciona com outros fatores relacionados ao estresse).

Convivendo com o diagnóstico de hérnia de disco

Consequentemente, os indivíduos passam a se comportar de modo a proteger a coluna, e com isso, muitas vezes param de fazer as atividades cotidianas, como a prática de exercícios físicos. Isso gera um efeito reverso, altamente prejudicial para a saúde em geral.

Não é necessário e nem recomendado interromper as atividades do cotidiano após receber algum desses diagnósticos relacionados a coluna, especialmente a hérnia de disco. É necessário aceitar a situação de dor lombar e voltar a fazer as coisas que dão prazer na vida, de forma a diminuir as incapacidades.

Busque ajuda profissional

Com a ajuda de um profissional capacitado, é possível executar os movimentos com mais segurança, o que proporcionará mais força, flexibilidade e a mobilidade necessária para realizar as atividades diárias, e até mesmo praticar um esporte de preferência.

O movimento é bom para a coluna e deve-se ter confiança na mesma para executar os movimentos normalmente, e com estratégias necessárias para liberdade e mobilidade, pois o quadro de hérnia de disco é modificável.

Principais técnicas voltadas ao tratamento da coluna e hérnia de disco:

  • Pilates;
  • Treinamento funcional;
  • Hipopressivos;
  • Ginástica natural e Holística.

Franciele Casarin é fisioterapeuta na Clínica Livon, em Joinville (SC). Clique e conheça nosso estúdio de Pilates.