Dúvidas e orientações sobre a reabilitação cardíaca após o infarto

Reabilitação cardíaca infarto Clínica Livon

Apesar do infarto agudo do miocárdio ainda ser uma das principais causas de morte no mundo, os avanços da medicina nas últimas décadas fizeram reduzir as taxas de letalidade.

As diversas medicações desenvolvidas e os procedimentos invasivos aprimorados possibilitaram que diversos pacientes sobrevivessem e pudessem enfrentar um novo desafio: a vida pós infarto.

A maioria das pessoas temem essa nova fase e convivem com o surgimento de diversas dúvidas:

– “Qual a chance de ter um infarto novamente?”;
– “Poderei voltar a fazer exercícios?”;
– “Quando poderei voltar a ter relações sexuais, poderei utilizar estimulantes?”.

Convivendo com o pós infarto

É papel do médico tranquilizar seus pacientes, mostrando que com as orientações e cuidados corretos, pode-se alcançar uma excelente qualidade de vida.

Algumas medicações se mostraram eficazes em reduzir a recidiva (reaparecimento) de infarto, tais como o AAS e as estatinas, e por isso devem ser utilizadas indefinidamente, salvo contraindicações. Além disso, certos exames podem ser realizados com o intuito de detectar precocemente novas lesões coronarianas, evitando assim o re-infarto.

Reabilitação cardíaca após o infarto

A reabilitação cardíaca consiste na prática de atividade física supervisionada por profissional capacitado e deve ser iniciada ainda durante a internação hospitalar e mantida após a alta. A mesma se mostra muito eficaz em reduzir os sintomas, a reincidência de infarto e até mesmo a mortalidade desses pacientes.

Principais dúvidas sobre o pós infarto

O prazo para liberação para atividade sexual é uma dúvida muito comum e depende do grau de acometimento cardíaco após o infarto. Em casos leves, duas semanas é um período seguro, no entanto, em casos mais graves, que evoluem para insuficiência cardíaca, seis ou mais semanas podem ser necessárias.

Outro questionamento frequente é com relação a impotência sexual e ao uso de estimulantes. Não há nenhuma contraindicação formal para o uso de medicações para a impotência em paciente com infarto, no entanto, muitos desses indivíduos podem estar utilizando outras drogas que podem ser incompatíveis, portanto, o cardiologista sempre deve ser questionado antes do uso de tais substâncias.

Cuide-se e proteja sua saúde

Portanto, caso você já tenha sofrido um infarto, procure seu cardiologista e tire suas dúvidas. A compreensão plena sobre a sua doença é fundamental. Somente assim temos a consciência da importância do uso das medicações prescritas e do seguimento correto das orientações fornecidas pelo seu médico.

Dr. Bruno Penha é Cardiologista na Clínica Livon em Joinville, SC. Saiba mais.